A chegada do mês de julho é muito lembrada para a maioria das crianças, porque significa que as férias escolares começarão. Neste período, as crianças aproveitam o tempo sem aula para relaxar, se divertir e descansar, o que acaba mudando – e muito – suas rotinas. Ir dormir muito tarde e acordar mais tarde ainda, além de comer em horários diferentes ou até mesmo pular refeições são algumas das situações que caracterizam bem o período de férias.

De acordo com a otorrinolaringologista do Hospital Federal da Lagoa e Especialista do Sono, Dra. Luciane Mello, hábitos como estes são o suficiente para que o organismo sofra consequências mais tarde, já que o corpo estava acostumado com uma outra rotina. “A alteração repentina da hora do sono ocasiona mudanças hormonais no corpo das crianças e adolescentes. A produção de cortisol, o hormônio do crescimento (GH), fica desregulada, gerando um sono de má qualidade e, consequentemente, o cansaço diurno”, explica.

Além disso, segundo um estudo feito com 11 mil crianças na Inglaterra e publicado na revista Epidemiology e Community Health, a falta de rotina na hora do sono pode prejudicar a capacidade de aprendizado das crianças. Por isso, é importante manter os ponteiros do relógio biológico, principalmente na hora de dormir, mesmo durante as férias. Assim, problemas futuros no retorno às aulas podem ser evitados.

No entanto, para que as férias ainda possam ser aproveitadas e o organismo não sofra com tantas consequências devido às mudanças de horários, a especialista listou 7 dicas que podem ajudar a manter a rotina em dia:

1. Conforto

É importante se atentar ao colchão, travesseiro e a postura das crianças. O travesseiro ideal, por exemplo, deve preencher totalmente o espaço entre a cabeça e o colchão, formando um ângulo de 90° graus no pescoço, o que ajuda a manter a coluna vertical e lombar alinhadas. Se houver viagens na programação de férias é recomendável que o travesseiro seja levado na bagagem.

2. Evite exageros

Deixe-os aproveitarem os dias de folga. Porém, procure manter um horário regular para dormir e comer, mesmo que sejam diferentes dos habituais. Por exemplo, se costumavam dormir às 21h e agora estão dormindo às 23h, mantenha este horário e não deixe que se estenda.

3. Relaxamento

Incentive a realização de atividades mais calmas durante a noite, como ler um livro ou se divertir com histórias em quadrinhos. Evite que façam atividades físicas ou joguem videogames, por exemplo, já que ambas estimulam a produção de adrenalina, o que dificulta o sono.

4. Crie um ambiente agradável

Quando a noite se aproximar, o ideal é que a casa fique mais silenciosa e as luzes mais amenas. Experimente utilizar abajures, pois a luz forte prejudica os ciclos biológicos;

5. Alimentação

É imprescindível que as crianças tenham uma dieta balanceada, com o consumo de todos os nutrientes, como proteínas, ferro e carboidratos. Também é importante que as refeições sejam realizadas nos horários certos, pelo menos, as três principais do dia: café da manhã, almoço e jantar.

6. Tempo de sono

O ideal é que as crianças em idade pré-escolar (de 3 a 5 anos) durmam entre 10 a 13 horas por noite. E crianças em idade escolar (de 6 a 13 anos) durmam entre 10 a 11 horas, ambas sem a interrupção do sono.

7. Voltando à rotina

Uma semana antes do fim das férias, organize para que as crianças voltem ao horário correto de dormir e também de acordar. Ajuste os horários um pouco a cada dia, até que a hora habitual se assemelhe a rotina das aulas.

“É importante prestar atenção no rendimento diário das crianças e observar se o período de sono é tranquilo. O ideal é que a respiração seja sem esforço e pelo nariz, e não existam roncos, além de seguir uma vida saudável, com alimentação balanceada e atividade física regular. Se mesmo assim ainda persistir o cansaço diário ou a dificuldade em voltar à rotina for grande, é recomendável procurar a ajuda de um especialista”, finaliza Luciane.

 

Veja também:

Dicas para uma boa noite de sono
Bom sono é um remédio

 

 

Fonte: Medellin Comunicação
Imagem: Vitalinka / Fotolia