De acordo com cancerologista da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC), o tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão; Cerca de 20,1 milhões de brasileiros são fumantes; Por ano, quase 6 milhões vão a óbito devido ao fumo

O câncer do pulmão está ganhando, cada vez mais, os holofotes. O tumor corresponde a 13,5% de todos os tipos de câncer, e já representa o segundo tipo mais frequente, superado apenas pelo de mama e de próstata. No Brasil, as estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostram que, ainda neste ano, 10.890 mulheres e 17.330 homens terão o tumor. O cigarro – extraordinariamente danoso à saúde, por conter cerca de 70 substâncias cancerígenas -, é a principal causa deste tipo de câncer. Estima-se que cerca de 20,1 milhões de brasileiros são fumantes.

Por ano, quase 6 milhões vão a óbito devido ao fumo. Se nada for feito para mudar esta realidade, estão previstas mais de 8 milhões de mortes ao ano, a partir de 2030. Em prol do Dia Mundial sem Tabaco, comemorado nesta quarta-feira, 31 de maio, o cancerologista Vinícius Basso Preti alerta: “Os fumantes apresentam 30% mais chances de desenvolver, ao menos, 14 tipos diferentes de tumor maligno. Ao cair na circulação, os componentes nocivos do cigarro se tornam fator de risco para o câncer em diversos órgãos, como boca, faringe, garganta, entre outros”, elenca o membro da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC).

O tempo de exposição às substâncias e à fumaça do cigarro são gatilhos importantes que levam à doença. O risco é dose-dependente. Ou seja, quanto mais cedo se inicia o hábito de fumar e quanto mais cigarros fumados por dia, maior é a predisposição. O combate ao tabagismo, no entanto, é a forma mais eficaz de prevenção do câncer do pulmão.

Benefícios de parar de fumar
· Após 20 minutos a pressão já normaliza;
· Em 2 horas já não há mais nicotina circulando no sangue;
· Entre 12 e 24 horas os pulmões já funcionam melhor;
· Após 1 ano o risco de morte por infarto cai pela metade;
· Entre 5 e 10 anos o risco de enfarte será igual ao de uma pessoa que nunca fumou.

 

Fonte: Target Comunicação
Imagem: Fuzzbones / Fotolia