Com a temperatura em alta, a preocupação com a proteção da pele também aumenta. A exposição aos raios solares se torna mais frequente, e se a pele não estiver devidamente protegida, os danos ocorrerão. A queimadura solar acontece quando a exposição ao sol e aos raios ultravioleta ultrapassa a capacidade de proteção da pele através da melanina. Pessoas de pele mais clara queimam mais rapidamente, pois apresentam quantidade de melanina menor do que as pessoas de pele escura. Mas isso não significa que os riscos sejam menores ou que as pessoas de pele mais escura sejam imunes ao risco de câncer de pele.

A queimadura solar leve pode causar vermelhidão, dor e ardência. Já nos casos mais graves o indivíduo pode ter febre, edema (inchaço), desidratação, bolhas na pele e episódios de vômito. A exposição prolongada aos raios ultravioleta aumenta também o risco o risco de catarata. Para evitar situações e doenças como essas, é importante seguir as conhecidas dicas de proteção da pele.

O tratamento para a queimadura solar leve é basicamente o tempo. O que alivia os sintomas do ardor é tomar banho frio e utilizar pomadas ou analgésicos que devem sempre ser prescritos por um médico. Em caso de queimadura solar grave, o médico deve ser procurado imediatamente para tratamento hospitalar específico.

Finalmente, em dias quentes, não se esqueça de beber mais de dois litros de água pura por dia. Evite refrigerantes e sucos artificiais que além de engordar, não hidratam. Veja algumas dicas:

 

verão
Fonte: Revista Vida e Saúde – Jan. 2011

 

Dicas para uma alimentação saudável no verão