O atraso da fala ou a falta de diálogo são sinais que sugerem a presença de perda auditiva nas crianças. Veja as indicações que os pais e cuidadores devem reconhecer nas crianças e os exames que confirmam o problema.

Sabemos que a boa audição na infância é fundamental para o desenvolvimento e comunicação de todas as crianças. Para garantir esse benefício, é necessário que os pais estejam sempre atentos ao menor sinal de perda auditiva.

Segundo a Profa  Dra. Tanit Ganz Sanchez – Otorrinolaringologista com doutorado e livre-docência pela USP, Diretora-Presidente do Instituto Ganz Sanchez, a identificação de problemas auditivos em crianças de 0 a 4 anos é mais fácil quando o caso é grave, mas pode passar despercebida quando o problema é menor.

Atualmente, ainda na maternidade, o bebê deve fazer o teste da orelhinha (emissões otoacústicas). Ele é simples, rápido e eficiente como triagem auditiva, mas não dá ideia de quantidade da perda auditiva. Por isso, além da consulta médica com otorrinolaringologista para avaliação completa dos ouvidos, nariz e garganta, o diagnóstico pode ser confirmado com a Audiometria Infantil Condicionada com Reforço Visual.  “Nessa idade, o exame requer mais prática e habilidade profissional. Deve ser feito por um ou dois fonoaudiólogos em conjunto. O bebê/criança fica sentado/deitado no colo dos pais, dentro de uma cabina com isolamento acústico, usando ou não fones de ouvido. São oferecidos sons com técnicas lúdicas para envolver o bebê/criança durante a testagem. O reforço visual da informação sonora ajuda bastante na confirmação do nível de audição.”

Segundo a especialista, o exame, quando bem feito, dá informação confiável para o médico otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo acompanharem a criança. “É possível verificar o desenvolvimento normal da audição, da fala e da linguagem, detectar a deficiência auditiva, mesmo que seja de grau leve, o mais precocemente possível, comparar o resultado da cirurgia para colocação de tubo de ventilação nos ouvidos, que é usado para tratar da otite secretora ou ‘catarro no ouvido’ e, como ponto principal, ajudar na reabilitação auditiva”, complementa a Otorrinolaringologista, que também é especialista em zumbido no ouvido.

Seu filho ouve bem?

Dra. Tanit Ganz Sanchez ainda lista uma série de “sinais” que são encontrados em crianças com problemas auditivos:

  • Demoram a falar ou quase não conversam
  • Não respondem rapidamente às perguntas
  • A TV fica com volume mais alto que o necessário
  • Responde ou fala com frequência “o quê? hã?”
  • A criança projeta ou se posiciona com um dos ouvidos para a frente quando está ouvindo
  • Rendimento escolar pode ser pior
  • Crianças menores parecem desatentas
  • Os pequenos não respondem visualmente, ou seja, não olham para os adultos quando são chamados
  • Na dúvida, investigue a mais, não a menos! Isso é um ato de amor.

 

 

 

Fonte: Banco de Notícias
Imagem: Photophonie / Fotolia