1. A primeira atitude é ir ao médico e fazer um exame físico detalhado para checar possíveis problemas de saúde.

2. Com a ajuda de um profissional de educação física, faça uma avaliação da sua performance, partilhando com ele seus objetivos e necessidades, e, então, traçar uma conduta. É a partir desse diagnóstico que se pode definir o plano de exercício adequado. Portanto, nada de começar indo com muita sede ao pote, tentando tirar o atraso. Ao praticar uma atividade física, você precisa respeitar seu limite individual de frequência cardíaca, porque os resultados têm de vir com conforto, extraindo do corpo o que ele pode dar, em vez de provocar fadiga e estresse.

3. Outro ponto muito importante e essencial é manter a regularidade e exercitar-se por 30 minutos pelo menos três vezes por semana, no mínimo. Nas atividades que têm como foco a força muscular, por exemplo, caso o treino seja diário, será preciso dividir os grupos musculares para não sobrecarregá-los. Não adianta dar o máximo num dia e não fazer nada nos três dias seguintes. Ao contrário, esse comportamento pode até propiciar lesões musculares ou sobrecarregar demais as articulações. Já os exercícios aeróbicos, como a caminhada, podem ser feitos diariamente, desde que não sejam de alta intensidade, como a corrida que se sugere fazer três vezes por semana.

 

Benefícios imediatos para quem inicia um programa de educação física. Entre os vários benefícios que podemos ressaltar, os principais são:

  • Aumenta a força muscular
  • Melhora a coordenação motora
  • Fortalece a função cardiovascular
  • Melhora o desempenho nas atividades diárias
  • Evita as lesões por esforços repetitivos
  • Queima calorias indesejáveis
  • Melhora a qualidade do sono

 

Fonte: Revista Vida e saúde – Dez. 2008
Imagem: Jacek Chabraszewski / Fotolia