Há pais que pensam que descansar nas férias significa deixar seus filhos irem dormir tarde e acordar tarde, passar o dia inteiro vendo televisão, jogar videogame ou dormir a tarde toda. Mas está na hora de passar algumas informações para eles que poderão ajudar seus alunos a voltarem às aulas no próximo ano mais descansados e dispostos a estudar.

 

DIFERENÇAS ENTRE DIVERSÃO E RECREAÇÃO

Diversão

A diversão trata de atividades que exigem esforço físico e mental, promovendo excitação e desassossego, terminando em cansaço excessivo, debilidade física e, às vezes, prejuízo financeiro. A diversão tem o objetivo puro e simplesmente de passar o tempo, sem levar em conta os vários aspectos da saúde.

Por exemplo:

  • Permanecer em lugares muito barulhentos por muitas horas – prejudicam a audição e irritam os nervos;
  • Assistir TV por muito tempo – o excesso de informações visuais extenua a mente, deixando-a confusa e desconcentrada;
  • Ficar diante da TV por muito tempo – força a visão a ponto de poder provocar danos sérios;
  • Filmes violentos, de ação ou terror – causam medo, insegurança e sono de baixa qualidade;
  • Jogos de cartas ou de azar, videogames, etc., envolvendo dinheiro ou não – causam ansiedade e desgastam os nervos, e podem viciar.

 

Recreação

A raiz dessa palavra é recriar; criar de novo. Portanto, recrear-se traz vários benefícios à saúde, renovando as energias, descansando a mente, fortalecendo os nervos, unindo amigos e família.

Exemplos de atividades recreativas conforme cada faixa-etária:

Crianças de 0 a 11 meses

Rolar a bola para a criança pegar; rolar e engatinhar com a criança no chão; imitar o que ela faz é interessante e desenvolve as lógicas corporais; fazer a criança imitar o adulto ajuda na comunicação com o bebê. Neste caso a dica é brincar com sons diferentes (várias possibilidades de chocalhos, apitos ou até alguns brinquedos prediletos da criança). Isso chama sua atenção, pois a audição e a visão são sentidos em desenvolvimento.

Crianças de 1 a 3 anos

Nesta idade já começa a possibilidade de criar juntos. É importante dispor os materiais da criação deixando que escolham o que lhe interessa (cores, texturas, formas, quantidade…).

A dica para estes pequenos cientistas são os jogos de esconder e pegar. Cuidado, não menospreze a quantidade de ação destas brincadeiras: cálculo de velocidade, formação de estratégia, rota de ação, leitura corporal, excitação dos sentidos, correr e parar.

Para incrementar essas duas brincadeiras que no mundo dispensa explicações você pode se esconder com lençóis, esconder-se num cômodo da casa e fazer um som para ser achado(a), esconder-se em algum local óbvio para a criança.Para o pega-pega você pode começar numa cama ou tapete e ir ampliando de acordo com a sua motivação e condição física. As crianças gostam de serem pegas, pois o contato físico é fundamental para elas. Então você pode fazer um pega-pega num sofá enquanto ela vem até você para ser pega. Caso a criança corra e você não tenha vontade de brincar de ir atrás, mude a forma de pegar ou mescle um esconde-esconde (com aquela almofada do sofá) e quando a criança vier você a pega mais uma vez, começando tudo de novo.

Crianças de 4 a 6 anos

Nesta idade o corpo já está mais apto a desafios maiores. A altura, a temperatura, a distância, a rotação, cair e levantar são coisas mais que encantadoras.

Construa com a criança uma pista para carros (de tampinhas de garrafa). A pista pode ser feita de inúmeras formas, desde um descampado de areia ou barro, com os outros amigos dela ou quem aparecer naquele momento, até um pano velho ou papel metro (2 mx1m, no mínimo) que se tenha em casa.

A brincadeira consiste em planejar uma estrada com túneis, passagens secretas, pista de larguras diferentes, obstáculos, etc. Depois você põe tampinha de garrafa no ponto de partida, para cada jogador. Escolhe quem começa a brincadeira e, aos petelecos, cada um vai movendo sua tampinha. Caso a tampa saia da rota, a criança deverá recomeçar de onde parou.

Mímica

Número de participantes: a partir de 4
Divida as crianças em dois times. Um participante deve se dirigir ao grupo adversário, que falará alguma palavra. A criança tem três minutos para representar, apenas com gestos, e o time deve adivinhar. O time que acertar mais, ganha.

Crianças de 7 a 10 anos

Cinco Marias

Número de participantes: a partir de 1
Pegue cinco saquinhos de tecido e encha-os com areia ou arroz. Jogue as cinco marias no chão. Escolha uma, jogue para cima e pegue outra do chão, a tempo de pegar a primeira antes de cair. Na próxima rodada, jogue um saquinho para cima enquanto pega dois no chão e volta a recolher a primeira antes de cair. E assim sucessivamente.

Amarelinha

Número de participantes: a partir de 1
Faça o desenho da amarelinha no chão e enumere os quadrados de 1 a 10. A criança joga uma pedra na primeira casa e, em um pé só, pula e vai até a última. Na volta, pega a pedra do chão. Na próxima rodada, joga a pedra na casa 2 e vai até o fim em um pé só. E assim sucessivamente. Não pode colocar o segundo pé no chão, nem errar a casa.

Balão fujão

Número de participantes: a partir de 2
Trace uma linha de partida e uma de chegada. Cada jogador segura uma bexiga e um pedaço grande de papelão. Ao seu sinal, cada criança coloca sua bexiga no chão e a abana com o papelão, na direção da linha de chegada, e a traz de volta da mesma forma. O primeiro que terminar o percurso, ganha a corrida. Existem muitos sites com excelentes brincadeiras educativas para as crianças aproveitarem bem as férias com saúde, alegria e companheirismo. Essas brincadeiras não exigem gastos, são divertidas e podem ser feitas sem sair de casa. E, com certeza, à noite, as crianças dormirão mais cedo!

 

Pais assustados

Talvez você se depare com pais que reclamem por achar trabalhoso demais envolverem-se com seus filhos. Afinal (e é verdade), eles também estão cansados. Mas reforce o conceito de valores e família, imprima este material para eles e motive-os a tornar as férias de seus filhos um período agradável e prazeroso!

 

E para você, professor (a), boas férias!

 

 

Imagem: JiSign / Fotolia