Faça coisas fora da agenda

Vivemos em sociedades democráticas e, portanto, “livres”, mas muitos são prisioneiros no território da emoção.

Veja mais