Com o passar das gerações e o avanço das tecnologias percebemos que as crianças e adolescentes estão cada vez mais envolvidos com a TV, videogames, smartphones, tablets, internet e vários outros dispositivos modernos.

A pergunta é: Será que essa avalanche tecnológica é positiva ou negativa? Como os pais e educadores podem agir diante dessa situação?

As palavras chaves para esse contexto são equilíbrio e coerência, pois ao mesmo tempo em que as mídias podem ser negativas no sentido de estimular comportamentos indesejáveis, influenciar valores e opiniões, a violência, o consumismo e a alienação podem, também, ser positivas já que promovem informações, esclarecem fatos e propagam campanhas de conscientização. Além disso, quando bem instruídas, as crianças e adolescentes podem se tornar leitores críticos, ajudando-os a fazer escolhas inteligentes.

O fato é que não podemos negar que as mídias estão em nosso cotidiano e a tendência é de que sua expansão seja cada vez maior. Vale a pena ao invés de se concentrar somente nos aspectos negativos que as mídias oferecem, de se ter um novo olhar, conhecê-las um pouco mais e entender o que as crianças realmente conhecem e como se relacionam com elas.

A partir do momento que nos aproximarmos deste novo mundo tecnológico poderemos orientar e interagir melhor com as diferentes faixas etárias, discernindo o que é bom e ruim, transmitindo diversos pontos de vista como forma de ajudá-los a julgar cada informação recebida.

Assim, precisamos nos atentar, nos envolver e não deixar que elas dominem o dia a dia das crianças e jovens, mas sim, que elas possam contribuir para a formação dos mesmos.

 

Veja o infográfico sobre o uso da internet pelas crianças.

 

Livros relacionados ao tema:

Mania eletrônica            1 Clique

 

Imagem: Vectorikart / Fotolia