O cérebro precisa ser constantemente exercitado para abrir os caminhos e aumentar as ligações entre os neurônios. Exercícios e movimentos coordenados do corpo, executados de maneira apropriada, acessam e estimulam partes específicas do órgão, anteriormente pouco utilizadas e desconectadas do conjunto cerebral.

Exercícios físicos, palavras cruzadas, quebra-cabeças, andar para trás e tomar banho no escuro podem ser estimulantes para o cérebro, dizem os especialistas na área. A mudança da rotina é fator importante para o desenvolvimento da capacidade mental. Mas apenas substituir uma ação por outra não quer dizer que o cérebro faça novas conexões.

Tente gozar férias em lugares desconhecidos, aprender um novo idioma, se comunicar através da linguagem de sinais ou praticar um hobby. Sair da rotina, viajar, ler, estudar, usar o relógio no braço trocado, aprender alguma arte. Qualquer situação nova, fora da rotina, que traga prazer, pode servir como estimulante.

Exercícios de raciocínio são o único fator importante para o bem-estar do cérebro. É necessário também que a pessoa se sinta sempre útil, caso contrário, pode ter depressão. E quando há doença, mesmo com estímulo, o cérebro não responde.

 

Cinco coisas que preservam o poder do cérebro

  • Habitue-se a ler pelo menos 20 páginas ao dia.
  • Faça palavras cruzadas ou algum outro passatempo que exija algum esforço mental.
  • Aprenda a tocar um instrumento musical.
  • Faça exercícios físicos pelo menos quatro vezes por semana.
  • Caminhe ao ar livre. Assim você vai levar seu cérebro para passear.

 

Cinco coisas que prejudicam o cérebro

  • Inatividade física.
  • Inatividade mental.
  • Passar longas horas diariamente na frente da TV.
  • Assistir novelas e outros programas de baixa qualidade na televisão.
  • Drogas de qualquer tipo, inclusive cafeína, fumo e álcool.

 

Imagem: Adimas / Fotolia