Reputação é o que os outros pensam a nosso respeito. Já caráter é o que realmente somos. Reputação é mera fachada; caráter é a vivência de valores. No primeiro caso, procuramos dar a impressão de que tudo vai bem conosco. No segundo, convencemos as pessoas pela força e coerência de nosso exemplo.

Muitas famílias se preocupam apenas com reputação. Fingem que as coisas vão bem entre esposo, esposa e filhos. Trata-se de uma estratégia que, em certas situações, pode gerar alguns dividendos. Mas isso não dura por muito tempo.

Um antigo ditado diz que “para você conhecer uma pessoa, precisa comer um saco de sal com ela”. Ou seja, precisa conviver com ela em várias situações e num tempo mínimo necessário.

Deus deseja que toda família seja vista e conhecida pelo caráter de seus membros e não por atitudes ancoradas no disfarce. Se você quer que sua família seja avaliada positivamente, pense em caráter e não em reputação.

Creio que o primeiro passo é um diagnóstico franco e sincero do tipo de relacionamento que existe em sua família. Por exemplo, vocês se comunicam bem? Entendem-se quanto à educação dos filhos? Têm coragem suficiente para detectar os pontos em que devem melhorar? Sabem perdoar uns aos outros? A religião é algo prático ou apenas fachada para encobrir defeitos?

Que tal o esposo, esposa e filhos gastarem um pouco de tempo para fazer essa avaliação? Terminado o teste, que nota vocês acham que as pessoas dariam à sua família se tivessem acesso às informações?

Se o resultado for bom, agradeçam a Deus. Se for ruim, não desanimem. Sempre há chance para recomeçar.

É preciso desenvolver a habilidade de troca verbal, pois a violência é destrutiva e prova de desconsideração total para com o outro.