Que maravilha! Em casa finalmente. Ufa!!! Hoje foi barra, quanta lição, mas a escola terminou e agora estou em casa. Oba! Vou descansar! Não!!! Tem lição de casa!

Essa é a fala de muitos alunos, após um período exaustivo na escola. Ao chegar em casa, tudo o que eles não querem é fazer a lição. A postura dos pais ou responsáveis é de suma importância. A valorização desse momento ajuda o estudante a perceber a relevância dessa atividade. Sendo assim, a escola também precisa tornar a tarefa de casa algo instigante e desafiador de forma a incentivar a pesquisa e ao mesmo tempo corroborar com o processo de aprendizagem.

Para os alunos, muitas vezes, é difícil enxergar a tarefa de casa como algo necessário e parte importante no processo da aprendizagem, até mesmo porque é na tarefa de casa que o aluno aprende a ser estudante, aprende a buscar por si o conhecimento.

Para alguns pais a tarefa é vista como castigo, um exagero dos professores ou “como aquilo que deveria ter sido feito em sala, mas o professor não quer trabalho” e, muitos também salientam que precisam auxiliar os filhos na execução das mesmas. O que os pais precisam entender é que algumas atividades requerem sim, a supervisão estratégica da família, colaborando até na interação entre pais e filhos e propiciando um momento de aprendizagem juntos, o que não quer dizer que o pai deva fazer a tarefa para o filho e, sim que o pai deva supervisionar.

Lembrando que é fundamental um ambiente propicio, claro, longe de distrações. É muito importante que o aluno tenha sossego na hora da execução da tarefa de casa. E embora não gostem, o exemplo fala mais alto do que as palavras. Pais que tiram momentos para ler e estudar, estimulam e influenciam muito mais os seus filhos no gosto de estudar. Pais, incentivem e auxiliem os seus filhos a entregarem as tarefas no prazo determinado.

Em relação aos professores, o grande desafio é elaborar uma tarefa que seja adequada, relevante e que esta contribua de forma significativa no desenvolvimento cognitivo de seus alunos. O professor precisa despertar o gosto pelo estudo propiciando atividades interessantes, desafiadoras, criativas e dinâmicas. Exercícios extensos, mecânicos e repetitivos não geram entusiasmo. Dose certa na tarefa, esse é o caminho. Lembre-se: além de revisar conteúdos vistos no período escolar, seu aluno precisa brincar, descansar, exercitar o corpo e realizar muitas outras atividades para o desenvolvimento pleno.

 

Seis dicas que vão fazer a diferença na hora de estudar com os filhos.

 

 


Imagem: Uber images/Fotolia