EM JULHO DE 2017 a Revista Educação divulgou uma pesquisa feita pela plataforma Quizlet sobre os lugares mais populares entre os adolescentes para estudar. Mais de mil estudantes brasileiros participaram dessa pesquisa.

Nos resultados, constatou-se que um quarto dos entrevistados (24,8%) preferem estudar na cama. O segundo local mais popular é o banheiro (20,4%), seguido pelo transporte público (14,2%).

Quando perguntados sobre aqueles locais mais estranhos em que se “defrontaram” com trigonometria, normas gramaticais ou a tabela periódica, os entrevistados apontaram festas familiares (31,8%), praia (23,41%) e avião (17,04%).

Muitos estudantes pensam que qualquer lugar é lugar para estudar. Saber escolher e organizar corretamente um local de estudos impacta diretamente na qualidade do aprendizado.

O Guia do estudante, em 2012, trouxe três dicas sobre onde e como estudar:

  • Escolher um local arejado: ar puro ajuda a oxigenar o cérebro.
  • Encontrar um local com boa iluminação: um dos primeiros sinais de cansaço pode surgir pela falta de iluminação adequada. É aconselhável evitar se posicionar de costas para a janela, pois o brilho irá atrapalhar a visão da tela do computador.
  • Evitar estudar deitado: além de ruim para a coluna, com a barriga para cima, a musculatura do braço ficará cansada depois de um tempo segurando o livro. Já com a barriga para baixo, a musculatura do pescoço se tencionará contra a gravidade e os ombros não aguentarão o peso do corpo por muito tempo.

Escolher o local ideal para estudar não basta, também é importante estar em um ambiente limpo, organizado e favorável aos estudos a fim de garantir motivação e aproveitamento do tempo.

Quem tem uma rotina que não permita ficar em apenas um local tem um sério problema com relação ao ambiente de estudo, a boa notícia é que nós sempre somos capazes de nos adaptarmos, não importa a circunstância.

 

 

 

Doris Barrinuevo Martins de Lima