A captação de novos alunos mobiliza toda a equipe escolar durante os meses do período de matrículas. Diante da concorrência acirrada, convencer as famílias de que a proposta apresentada é a melhor, por valorizar não apenas o ensino, mas um modelo de educação integral, é realmente um desafio. Todo esse esforço não pode ser comprometido pela dificuldade de adaptação desses novos alunos e, por isso, alguns cuidados são importantes para que eles realmente se integrem à nova escola.

Consideraremos dois pontos fundamentais na adaptação dos novos alunos: o aspecto social e o aspecto acadêmico.

Adaptação social

Enquanto os alunos veteranos chegam à escola, no primeiro dia de aulas, procurando os amigos, os novos alunos chegam completamente desambientados e repletos de questionamentos: conseguirei novos amigos? A turma me aceitará como sou? Serei alvo de zombaria por parte de algum colega? Os professores gostarão de mim? Essa dificuldade se acentua em casos de crianças muito tímidas, com baixa autoestima ou cuja aparência não se conforma aos padrões de beleza vigentes.

Através de projetos de acolhimento, a escola pode promover a integração dessas crianças. Seguem algumas dicas de atividades que podem auxiliar nesse processo:

  • Em turmas de séries iniciais, realize ao longo da primeira semana algumas atividades físicas (brincadeiras coletivas dirigidas). Isso permitirá que a criança que chega à escola tenha a oportunidade de brincar com os colegas antes da realização de atividades acadêmicas. Nesse primeiro contato surgirão afinidades que servirão como ponto inicial para a formação de amizades.
  • Ao estabelecer grupos durante a primeira semana de aulas, utilize outras formas de agrupamento além da escolha entre pares. Através de sorteios, fitas coloridas nos pulsos, nomes dentro de bexigas com cores diferentes e outros meios, faça com que os alunos se misturem. Além de evitar a formação de “panelinhas”, os novos alunos terão a oportunidade de participar dos grupo.

 

Imagem: Goodluz / Fotolia