A hora do parquinho é o momento mais querido e esperado do dia letivo para os alunos. Toda a excitação e felicidade é simplesmente um reflexo de ser um tempo livre para a criança, um momento de liberdade. Os alunos podem brincar em qualquer lugar, de qualquer forma e com quem eles quiserem. O significado do brincar vai além do de se divertir. Brincar capacita a criança a resolver problemas, tomar decisões, explorar, negociar e expressar-se em situações que são relevantes e significativas para elas. Ao brincar, os alunos não desenvolvem apenas as suas capacidades físicas, mas, principalmente, as suas competências emocionais e sociais.

É durante o tempo do recreio que os professores podem analisar e observar se as crianças sabem como interagir umas com as outras e, ao avaliar suas atitudes e comportamento, se elas estão enfrentando algum problema emocional ou dificuldade social. Esses fatos tornam a hora do recreio um dos momentos mais importantes do dia escolar para alunos e professores. Com base nisso, em agosto de 2010, decidimos revolucionar todo o sistema de funcionamento do nosso parquinho.

Anteriormente, o parque infantil era subdividido em duas grandes áreas, sendo que apenas uma delas era utilizada por vez. Os recursos disponíveis eram tanques de água e areia, casinhas e trepa-trepas. As crianças podiam trazer seus próprios brinquedos de casa, o que normalmente gerava conflitos entre elas. As crianças eram supervisionadas por assistentes de classe.

Houve necessidade de mudar a qualidade das oportunidades e dos recursos para o brincar no parque infantil. Nosso objetivo era promover as características essenciais para o desenvolvimento da infância, como brincar, explorar, criar e pensar criticamente. O envolvimento do corpo docente nesse processo foi fundamental para a criação de uma cultura de melhoria.

Durante meses, a equipe participou de várias reuniões para planejar a transformação da área do parquinho em um espaço melhor orientado para o brincar e para a infância. Começamos por adaptar o parque infantil para fornecer zonas focadas nas diferentes formas do brincar. Atualmente, os professores e assistentes observam e interagem com as crianças, buscando informações valiosas sobre o seu bem-estar emocional e social. Também agem como monitores para ensinar diferentes tipos de brincadeiras. O número de supervisores foi ampliado, o que garantiu maior saúde e segurança das crianças.

O parque infantil contorna três lados do prédio da escola e, atualmente, está subdividido em 12 zonas temáticas. Uma delas, a zona do faz-de-conta, encontra-se em um corredor interno do prédio da escola. As demais incluem uma zona de jogos tradicionais, uma zona tranquila com livros e jogos de tabuleiro, uma zona de artes e criação, uma zona de jogos de ação, uma zona de teatro que possui um palco e arara com fantasias, uma zona com tanques de areia e de água, uma zona com casinhas, duas zonas com trepa-trepas e escorregadores e a zona mania-da-semana, onde há sempre novas brincadeiras em prática. Seis destas são constantemente monitoradas, nas quais um membro da equipe de professores interage com as crianças para que elas possam obter o máximo benefício das atividades. A maioria das atividades nas zonas monitoradas muda a cada semana. As outras zonas têm materiais permanentes durante todo o ano e são apenas supervisionadas. As crianças podem escolher onde querem brincar e circulam livremente entre todas as zonas. No final do período do recreio, um sino avisa que é hora de voltar para a sala de aula.

Nos últimos anos, muitas alterações foram feitas a partir de questões e ideias levantadas durante as reuniões semanais. Foi preciso encontrar maneiras de instruir as crianças de como aproveitar ao máximo cada zona. Houve uma evolução gradual e natural para chegarmos ao sistema atual. Recentemente, percebemos a necessidade de disponibilizar o plano de supervisão e monitoria semanal no próprio parque infantil, para facilitar o trabalho de professores e assistentes. Ao final, produzimos um manual descritivo para o bom funcionamento do parquinho, que é revisado anualmente.

O objetivo de criar um ambiente seguro que promovesse o desenvolvimento essencial infantil foi alcançado. O fator mais importante que nos ajudou a atingir nosso objetivo foi a criação de uma cultura de aprendizagem e engajamento entre os professores. Isso propiciou o compartilhamento de uma visão comum sobre a finalidade do parque infantil no desenvolvimento e bem-estar das crianças.

 

Fonte: www.feiraeducar.com.br