Você sabe reconhecer as características de uma boa redação? E quais as qualidades principais de um texto? Para responder essas e outras dúvidas, vamos analisar quatro pontos essenciais para você fazer um texto de qualidade na hora da redação. O primeiro a ser observado será a autonomia, ou melhor, o embasamento, pois é através dele que você apresentará outras características necessárias para que seu texto seja de boa qualidade. O segundo ponto que esclarece a qualidade de uma boa redação certamente está ligado à coerência e a clareza de seu texto. O terceiro ponto é a coesão, e o quarto ponto é a simplicidade.

A seguir, vamos analisar esses quatro pontos para entendermos como podemos desenvolver um texto de qualidade e que se destaque dentre os demais.

1. Embasamento

Usa-se esse termo para enfatizar a necessidade de que, ao compor seu texto, você deverá ter domínio sobre o assunto que abordará, deixando seu leitor ciente do tema que você escolheu, mesmo que ele não tenha lido a proposta do enunciado da prova. O vocabulário também faz parte desse embasamento, pois se não estiver adequado pode tornar o texto desinteressante e, assim, levar o leitor a não compreender qual a proposta que você pretende apresentar. Exemplos:

Texto inadequado:

“O político que foi eleito deve ser um exemplo e deve ajudar o povo; deve tomar decisões corretas, resolver os problemas das cidades, ainda que esteja ocupado com outros negócios.”

Texto adequado:

“O líder político eleito deve criar projetos que possam prover aos cidadãos recursos que atendam às necessidades básica, que procurem tomar decisões que busquem o bem comum e não apenas se envolver em questões administrativas e internas, esquecendo seu papel como representante do povo.”

2. Coerência

Um texto coerente é resultado de como você utiliza seus argumentos a fim de convencer seu leitor de suas ideias e opiniões de forma objetiva e lógica, evitando radicalismos e posicionando-se de forma equilibrada.

Portanto, para ter coerência, primeiramente, é necessário escrever com clareza, para que seu leitor não questione, após a leitura do seu texto, “mas, afinal, o que ele quis dizer com isso?”. Mas, para que essa pergunta não surja na mente de seu leitor você, como autor, deverá fazer a si mesmo essa pergunta e, assim, seu texto estará pronto para ser lido por qualquer pessoa.

3. Coesão

A coesão pode ser dividida em duas partes, a primeira diz respeito ao texto, ou melhor, em como é feita a articulação entre os conectores que tornam as orações e os períodos mais compreensíveis, aperfeiçoando o discurso. A segunda parte vai além da preocupação entre período e oração, ou seja, trata da coesão entre as etapas dos textos. Portanto, a sua atenção deve estar no emprego das preposições e conjunções, para que esses conectores deem coesão aos períodos e as orações; e nos finas e inícios de cada parágrafo, para que eles tenham um encadeamento, ou seja, para que cada frase não pareça solta e sem ligação com a anterior ou a posterior, podendo, assim, gerar a coesão textual.

4. Simplicidade

Ao escrever sua redação, a simplicidade aparece como um dos pontos a serem destacados na hora de você expor suas opiniões. Como você terá pouco espaço para abordar sobre o tema escolhido, evite escrever períodos longos, pois eles trazem mais de uma ideia central e dificultam a compreensão. É importante, também, utilizar palavras simples, pois um vocabulário muito rebuscado poderá atrapalhar sua avaliação em vez de impressionar seus avaliadores.

 

 

Imagem: All Vectors / Fotolia