Criança, centro do planejamento curricular, é sujeito histórico e de direitos que, nas interações, relações e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura (1art.4º).

O PRINCIPAL OBJETIVO do educador, ao trabalhar na Educação Infantil, é transformar suas atividades em momentos dinâmicos, contextualizados na vivência das crianças e prazerosos para cada uma delas.

Pensando nisso, o MEC (Ministério da Educação)2 traçou o perfil das áreas de conhecimento e desenvolvimento para a Educação Infantil, chamando o conjunto de Eixos do Conhecimento.

Para uma aprendizagem eficaz, esses eixos devem ser trabalhados de forma entrelaçada. São eles:

Identidade e autonomia

Despertar na criança o sentimento de ser único, conhecendo suas qualidades e potenciais. Esse desenvolvimento acontece a partir da oralidade, da expressão corporal e da relação com os demais (sociedade).

Lógica e matemática

Conceituar questões numéricas, sejam elas de quantidade, superioridade, relatividade, ordem (crescente ou decrescente), igualdade ou desigualdade, entre outras, utilizando a experiência diária da criança na escola ou até mesmo fora dela.

Natureza e sociedade

Estimular a criança a relacionar-se com o meio em que vive, dando assim oportunidade de conhecer seu entorno, utilizando como ferramentas a exploração, a observação e a investigação, descobrindo novos desafios.

Música

Desenvolver de maneira lúdica a expressividade da criança em relação a sua afetividade, e relacionar a arte e o movimento à linguagem não verbal.

Movimento

Utilizar o movimento corporal para o conhecimento do próprio corpo, a exploração do ambiente e o desenvolvimento de novas capacidades gestuais para adquirir confiança própria.

Linguagem corporal e escrita

Inserir a criança na participação de práticas sociais, proporcionando a ela a possibilidade de interação com o meio (seja por meio de regras, documentos e notícias) ou com outras pessoas (crianças ou adultos), fazendo com que compreenda e seja compreendida.

Arte

Estimular a criança a perceber, no seu cotidiano, demonstrações comunicativas por meio das artes visuais, texturas, formas, sabores, sons, espessuras, cores e tamanhos.

Princípios e valores

Enfatizar a necessidade do desenvolvimento integral da criança em seus aspectos físicos, mentais, sociais e espirituais. Quando sabemos exatamente o que alcançar com cada um dos eixos, podemos usá-los de maneira que se completem para o melhor resultado. Sendo assim, é importante enlaçar todos os eixos citados ao elaborar projetos.

 

Na Educação Infantil o uso de projetos tem como objetivo estimular a criança a participar ativamente do processo de construção do seu conhecimento, alcançando mais autonomia no aprendizado.

Para ser possível usar livros didáticos na execução do projeto, algumas características precisam estar presentes no material: As atividades devem ser flexíveis; Os conteúdos devem estar interligados; As folhas devem ser destacáveis para que se possa elaborar um portfólio.

O principal objetivo das atividades deve ser alcançar o completo aprendizado, não contemplando apenas um único eixo. A avaliação se fará mediante o acompanhamento e o registro do desenvolvimento, sem o objetivo de promoção. Na Educação Infantil o professor não deve priorizar apenas a avaliação final, mas deve considerar todo o contexto de aprendizagem, inclusive as atividades realizadas.

“As crianças não devem ser forçadas à maturidade precoce, mas tanto quanto possível devem reter viço e graça de seus tenros anos. Quanto mais calma e simples a vida da criança, isto é, mais livre de excitações artificiais e mais de acordo com a natureza, mais favorável é para o vigor físico e mental e para a força espiritual”3.

 

Referências
1 Resolução CNE/CEB 5/2009. Diário Oficial da União, Brasília, 18 dez. 2009, seção 1, p. 18.
2 BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: ME; SEF, 1998. Disponível em: <http://goo.gl/Zr1eb>. Acesso em: 27 fev. 2015.
3 WHITE, Ellen G. Educação. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 1996. p. 107.
Imagem: Stockpics / Fotolia
Fonte: Revista CPB Educacional / 1º semestre 2015