Quando o aluno tem rendimento insatisfatório é comum a pais e escola procurarem por um “culpado”.  Nesse caso, buscar por um culpado não soluciona o problema, mas a integração entre ambos pode beneficiar a todos. A ação principal da família e escola é entender suas responsabilidades no processo educacional e estabelecer um diálogo eficaz.

Assim, de forma objetiva, podemos dizer que a ESCOLA precisa:

  • Esclarecer aos pais a proposta pedagógica escolar;
  • Cumprir a proposta com atitudes coerentes em seu dia a dia;
  • Valorizar os profissionais de cada área de atuação e investir em capacitações periódicas;
  • Oferecer diferentes métodos de explicações e ensino de maneira que o aluno não se sinta incapaz.
  • Ouvir as opiniões dos pais;

 

A FAMÍLIA precisa:

  • Aceitar as propostas da escola;
  • Conhecer os profissionais envolvidos no processo escolar;
  • Confiar na instituição escolhida;
  • Apoiar os filhos nas atividades escolares sem assumir as responsabilidades atribuídas aos estudantes. Como exemplo, realizar as tarefas de casa.
  • Participar das atividades propostas pela escola, tanto em reuniões quanto em eventos.

 

Com as relações estabelecidas, compreendidas e fortalecidas, o sucesso é garantido.  O alvo principal desse processo, o aluno, ao sentir-se apoiado em suas buscas e necessidades terá melhoria no desempenho acadêmico.  A convicção de ser considerado é um ingrediente importante para o seu desenvolvimento pleno.

 

Imagem: Studio_3321 / Fotolia