Uma pesquisa feita pela Intel sobre etiqueta no mundo virtual aponta que 92% dos entrevistados concordam que as pessoas deveriam ter mais cuidado ao usar seus dispositivos móveis. Mesmo assim, um em cada cinco adultos admite o seu “mau comportamento porque todo mundo faz igual”: 73% usam seus dispositivos atrás do volante, no banheiro ou no cinema; 65% falam alto em lugares públicos e 28% utilizam equipamentos enquanto caminham.

RECENTE, PORÉM NECESSÁRIA

A etiqueta móvel – regrinhas para usar celulares, smartphones, tablets, notes etc. – é apenas uma das facetas da etiqueta digital, um conjunto de boas maneiras ao se relacionar na rede, seja por e-mail ou em comunidades como Orkut e o Facebook ou microblogs como Twitter. “Há um descompasso entre o uso intenso dos dispositivos que surgem e a educação para usá-los com ética. As pessoas estão tendo de aprender essa etiqueta”, observa Martha Gabriel, professora do curso de férias de Marketing Digital da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). “A educação no ambiente digital é ainda muito recente.”
A especialista também acredita que a pressa também dificulta a cordialidade nesse ambiente. “As pessoas estão sobrecarregadas com a informação em tempo real e, com o volume de atividades online, tendem a ser mais objetivas, rápidas diminuindo as saudações, despedidas e cordialidade.”

Ainda que as regras de etiqueta móvel estejam em formação, dá para ser mais consciente e respeitar os outros ao seu redor. “O uso de smartphones durante uma conversa real é falta grave e passa a sensação para a outra pessoas de que ela é desinteressante”, exemplifica a professora Martha Gabriel.

Outro comportamento bastante incômodo são conversas no celular ou rádio com o áudio aberto que invadem o “espaço auditivo” alheio. “Procure algum local para fazer isso sem incomodar, mas cuidado: em certos lugares, o uso dos dispositivos móveis deve ser evitado, como banheiros e elevadores. “Em algumas cidades, usar o celular já é proibido em postos de gasolina e em bancos.

MANDANDO E-MAILS

  • Antes de mandar um e-mail, pense se o destinatário gostaria de recebê-lo. Nem todos gostam de piadas correntes.
  • Certifique-se de não mandar o mesmo e-mail duas ou mais vezes.
  • Ao receber um e-mail de alguém conhecido, confirme a chegada ou responda assim que puder. Não deixe a pessoa falando sozinha.
  • Preencha sempre o campo “Assunto”. É ele que determina o interesse e a prioridade de leitura.
  • Só envie arquivos anexados quando solicitado.
  • Se no corpo da mensagem estiverem reproduzidas outras respostas daquela troca de e-mails, apague o que for desnecessário.

ACERTE NA MENSAGEM

  • Não “grife” com mensagens em letras maiúsculas e evite palavras sublinhadas e em negrito.
  • Em vez de mensagens curtas em várias linhas, escreva uma frase completa e envie.
  • Não interrompa a conversa com outro assunto. A pessoa pode ficar sem saber se você leu ou não.
  • Quando estiver distante do computador mude seu status para ausente. Assim, as pessoas não vão mandar mensagens e esperar pela resposta.
  • Procure ser o mais claro possível.
  • Despeça-se da pessoas antes de desconectar-se e espere pela resposta dela.

NETIQUETA

Bem antes de a internet conectar dispositivos portáteis, já se falava em regras de conduta na troca de e-mails, grupos de discussão, chats e comunidades virtuais. A “netiqueta”, união das palavras net (rede, em inglês) e etiqueta, surgiu na década de 90, quando a internet comercial se popularizou no Brasil. Em 1994, a especialista Virginia Shea, a “guru de boas maneiras na rede”, apresentou dez mandamentos fundamentais no livro Netiqueta, que já orientava os usuários para uma convivência saudável e uma comunicação eficiente no ambiente virtual.

  1. Pense duas vezes antes de escrever qualquer coisa. Será que diríamos o mesmo pessoalmente para alguém?
  2. Siga os mesmo padrões de comportamento adotados na vida real.
  3. A netiqueta varia de acordo com cada site. Leia a política de uso, seu FAQ (frequently asked questions, as perguntas mais frequentes) e seu histórico para saber como as pessoas se comportam.
  4. Respeite o tempo e a conexão dos outros: enviar e-mails repetidos ou sem utilidade para o destinatário é indelicado, assim como copiá-los para pessoas que não precisam daquela informação.
  5. Passe uma boa imagem on-line: você será julgado pela qualidade do que escreve. É preciso conhecer o assunto, escrever de modo compreensível e claro e evitar erros graves de gramática e ortografia.
  6. Se pode contribuir com uma resposta inteligente, compartilhe conhecimentos.
  7. Não entre em discussões inflamadas, os flamings, em que os internautas defendem uma opinião de maneira emocional e acalorada, com a intenção de provocar reações hostis.
  8. Respeite a privacidade dos outros.
  9. Não abuse do poder no ciberespaço: ser administrador de comunidades ou moderador de grupos não significa excluir ou adicionar membros, bloquear mensagens ou ter acesso a informações privilegiadas.
  10. Perdoe os erros das outras pessoas. Quando alguém comete um equívoco ou faz uma pergunta boba, seja gentil. Se achar que deve corrigir, não faça isso publicamente e de maneira grosseira. Afinal, todo mundo já foi novato na internet algum dia, não é?

 

 

Fonte: Etiqueta Móvel, pesquisa da Intel disponível no site www.intel.com/newsroom/mobileetiquette (em inglês)
Revista Nestlé Com Você – Março de 2012 / p. 30 e 31
Imagem: ra2 studio/Fotolia