Fevereiro já está quase chegando e, com ele, o inicio do ano letivo escolar. Alguns pais, por diversos motivos, precisam colocar os filhos em creches logo nos primeiros meses de idade. Outros optam por deixá-los com familiares ou babás. Certo é que, mais cedo ou mais tarde, chega o dia em que ingressam na escola.

Quanto mais nova a criança, mais fácil e rápida será sua adaptação, pois os bebês menores não têm perfeita noção daquilo que os rodeia e conseguem se acostumar com mais facilidade a outras pessoas que não são de seu convívio. Ao contrário dos pais que, ao separarem-se dos filhos ainda bebês, passam por um processo doloroso de adaptação.

Quando as crianças vão para a Educação Infantil aos 3 ou 4 anos, é de se esperar alguma reação negativa desses novos alunos. Estudos comprovam que a rejeição a um novo ambiente é mais comum nas crianças com mais de 18 meses, pois elas têm maior memorização, percepção da realidade que as cercam e apego às pessoas de sua convivência. Deixar, pela primeira vez, um filho aos cuidados de pessoas desconhecidas é uma experiência difícil. E sabemos que, quanto menor a criança, maior a angústia dos pais. Apesar do sofrimento, é possível enfrentar esse período tão complicado. Veja algumas dicas:

1. Escolha com cuidado

É importante que os pais sintam-se seguros, pois a confiança de que fez a melhor escolha será transmitida ao seu filho. Antes de matriculá-lo, conheça mais de uma escola para poder decidir por aquela que passou maior segurança.

2. Mostre a escola para o seu filho

Mostre a escola para o seu filho – Em caso de adaptação com bebês, deixe o pequeno sentado para que ele enxergue os demais à sua volta. Deitado, ele só verá o teto, o que torna mais demorado a adaptação ao novo ambiente e aos novos estímulos. Com as crianças acima de um ano, passeie pela escola e mostre que aquele ambiente é seguro e divertido.

3. Participe

Caso seja possível, deixe seu filho acostumar-se com a escola gradativamente. Uma sugestão é que, no primeiro dia, ele fique somente duas horas e vá aumentando o tempo dia após dia.

4. Sempre diga a verdade

Não deixe a criança na escola dizendo que vai ao banheiro e já volta. No dia seguinte, seu filho não acreditará mais em você.

5. Cuidado com o que diz

Seu filho pode ser muito esperto, mas nem por isso ele entende frases no sentido figurado. Portanto, ainda que você esteja nervoso (a), policie-se para não dizer coisas como: “Você só me dá trabalho” ou “Você faz isso para me irritar”. Esse tipo de acusação leva a criança a se sentir culpada e, com o tempo, pode abalar sua autoestima.

6. Mantenha a calma

Durante a adaptação, as crianças apresentam comportamentos diferentes. Há crianças que choram e outras que não. Não podemos esquecer que crianças pequenas possuem pouca ou nenhuma fala. Assim, o choro pode ser um protesto, uma forma de manifestar desejo de continuar no colo da mãe, mas não significa necessariamente que ela não irá se divertir na escola.

 

Lembre-se sempre: à separação, todos nós sobrevivemos e ela é inevitável ao longo da vida. Frente a ela, só podemos nos agarrar à certeza de que é algo passageiro e que o reencontro virá no final do dia.

 

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada
Imagem: Highwaystarz / Fotolia