A cada ano, pais e tutores decidem que escola seus filhos frequentarão. Talvez tenham escolhido sua escola pela excelente reputação acadêmica ou pelos professores cristãos altamente qualificados. Talvez escolheram pela atividades extracurriculares. No entanto, é provável que a segurança de seus filhos esteja entre as principais razões por terem escolhido matriculá-los em sua escola. Demonstram assim sua confiança na habilidade da sua.

É sua escola digna de confiança? Está sua escola sendo fiel no pouco, bem como no muito, no que diz respeito a prover um ambiente seguro para o aprendizado e crescimento? Quer seja um educador ou um administrador, está você fazendo tudo que pode para salvaguardar a esperança e a promessa que as crianças representam? Vamos explorar alguns dos métodos que podem ser usados para garantir a segurança dos líderes de amanhã enquanto frequentam as escolas adventistas hoje.

O DIRETOR DE SEGURANÇA E A COMISSÃO DE SEGURANÇA

Segurança envolve todos os aspectos da educação, desde o ambiente físico até os regulamentos e procedimentos que definem as operações da escola. Bons hábitos de segurança começam com o  estabelecimento de procedimentos definidos para as atividades patrocinadas pela escola. Um diretor de segurança deve ser designado para coordenar esse processo com o apoio da comissão de segurança.

O que o diretor de segurança faz? Além de trabalhar com a comissão de segurança para estabelecer procedimentos definidos, ele é responsável por avaliar assuntos de segurança e educar os professores, funcionários, pais e alunos sobre as “melhores práticas”. A comissão deve ser capacitada para promover conselho, implementar mudanças de procedimentos e regulamentos, recomendar ação e eliminar programas ou atividades consideradas arriscadas. No entanto, mesmo que o diretor de segurança e a comissão estejam funcionando eficazmente, todos devem tomar parte ativa, porque a segurança é responsabilidade de todos.

Muitas instituições educacionais têm comissões de segurança, mas deixam de usá-las de modo eficaz. Frequentemente, esse grupo é convocado apenas depois que um incidente ocorreu, e as reuniões são feitas quando o tempo é bem limitado para todas considerações.

Durante a reunião de segurança, alguém pode relatar que um aluno foi ferido no parque de recreação. Todos ficam espantados e tristes pelo incidente e perguntam sobre a gravidade do ferimento, mas normalmente a discussão termina aí.

A comissão precisa aprofundar-se. O equipamento estava em boas condições? Havia proteção no chão (areia ou pó de serra, dependendo do local)? Havia um supervisor? A criança estava praticando uma atividade acima do nível de sua habilidade física? Era uma atividade aprovada, ou algo que a criança havia sido advertida que devia evitar?

Estas são as perguntas que envolvem: quem, que, onde, quando, e por quê. Uma vez que tenham sido respondidas satisfatoriamente, a comissão deve formular regulamentos para prevenir uma recorrência. Isso pode envolver melhorar o treinamento dos supervisores do parque, novos regulamentos ou a troca de equipamentos são mudados, certifique-se de que sejam claramente comunicados a todas as pessoas necessárias, e desenvolva um plano de acompanhamento periódico para assegurar sua eficácia.

Primeiros socorros

A maioria das escolas tem estojo de primeiros socorros à disposição para emergências. Quando foi a última vez que alguém verificou para ver se o estojo tinha material vencido e os trocou por estoque novo? Quantos membros do seu quadro de funcionários são treinados em primeiros socorros? Em alguns lugares, o Estado exige que enfermeiras estejam presentes durante o período escolar (EUA). Verifique as exigências para sua área de atuação.

Recomendamos também ter pelo menos um funcionário ou professor treinado em ressuscitarão cardiopulmonar (RCP). Afixe uma lista atual das pessoas certificadas em primeiros socorros e RCP na secretaria e salas de aula. Estar preparado é essencial em situação de emergência, quando poucos segundos podem fazer a diferença entre a vida e a morte.

Proteção contra incendio

E se começar um incêndio em seu prédio escolar nesse momento? Você saberia onde levar seus alunos? Que rota usaria para chegar lá? Você já pensou em uma rota secundária, caso a primeira esteja bloqueada? Vigilância e proteção constantes são essenciais para emergências. Isso não se aplica somente a incêndios, mas também a outros tipos de crises tais como terremotos, atentados de violência ou terrorismo.

A mídia local pode enviar uma equipe de filmagem e pedir uma entrevista, por isso tenha um porta-voz treinado para lidar com as perguntas mídia. Ao comunicar-se com a mídia, lembre-se de que a reputação da escola bem como da igreja estão em jogo.

Notificando sobre o perigo

Quando encontra perigos em sua escola, você os notifica a pessoa responsável? A escola tem um sistema eficaz de notificação por escrito em vez de um método de notificação verbal? Muitas vezes, os perigos não são reduzidos porque foram notificados verbalmente para alguém que depois se esquece de tomar medida. É importante estabelecer tanto um sistema de notificação por escrito, bem como um plano de acompanhamento para garantir que os reparos tenham sido realizados conforme especificação.

Inspeção das instalações

Quando foi a última vez que você fez uma inspeção rigorosa em suas instalações? Ela inclui a condição do prédio e dos equipamentos, juntamente com toda a atividade relacionado ao seu uso? Os perigos descobertos durante a inspeção foram corrigidos? Manter a vigilância sobre possíveis riscos no terreno da escola permite que você os repare antes que uma crise ocorra, reduzindo assim o risco de acidente e dano.

As pessoas frequentemente alegam que eliminar ou minimizar certos perigos é simplesmente muito dispendioso. No entanto, existem geralmente mais do que um modo de remediar um perigo. Naturalmente, a prevenção é o melhor método. Mas às vezes, a solução pode exigir que outros sejam treinados para reconhecer o perigo, para minimizá-lo ou evitá-lo.

Atividades de alto risco

Ao analisar os riscos, não se esqueça de atividades patrocinadas pela escola, tanto no campus como fora. Os alunos em sua escola participam de qualquer atividade de “alto risco” que requer conhecimento ou treinamento especial? A escola provê ou exige equipamento de segurança apropriado dos alunos envolvidos em atividades de alto risco e eventos desportivos? Verifique sua apólice de seguro para ter certeza de que ela cobre esses eventos ou atividades.

A escola é legalmente responsável por informar os pais ou tutores sobre possíveis riscos nas atividades escolares. Autorizações para tais eventos devem explicar detalhadamente as atividades que estarão acontecendo. Muitas vezes, uma demanda é proposta porque o acusado deixou de informar a vítima e/ou pais dos possíveis perigos da atividade.

Ações judiciais têm se tornado comuns em países desenvolvidos, e seu número está crescendo igualmente em países em desenvolvimento. Mesmo os custos legais para a defesa contra ações judiciais fracassadas podem ser significativos. Comunicação detalhada é frequentemente a chave para reduzir a probabilidade de uma ação judicial contra sua escola, igreja e mesmo você individualmente.

Prevenção

Desenvolver e implementar regulamentos para proteger os alunos sob seus cuidados é uma parte importante da sua responsabilidade como educador. Implantar uma comissão de segurança eficaz é importante para o bem estar dos alunos, funcionários, professores e outros que visitam suas instalações. Mas finalmente, cada membro do quadro de funcionários deve tomar interesse pessoal dos assuntos de segurança que afetam sua escola e trabalhar juntos para criar um ambiente seguro. Lembre-se de que a segurança é responsabilidade de tosos.

 

Fonte: http://jae.adventist.org/jae.php?index=issue&language=pt
Image: Be Ta-Artworks/Fotolia